fbpx

Vaginismo: 3 Técnicas da Fisioterapia Pélvica que você deve Conhecer

O vaginismo é uma das principais causas conhecidas de dispareunia (dor durante a relação) e é caracterizado por uma contração involuntária da musculatura do assoalho pélvico. 

O principal sintoma é dor e dificuldade de penetração durante a relação ou durante exame ginecológico (Preventivo, por exemplo). É bastante comum esse sintoma estar acompanhado da sensação de tensão e ansiedade.

A causa do vaginismo pode estar, ou não, relacionada com fatores psicológicos. Independente da causa primária a fisioterapia pélvica tem papel importante no tratamento do vaginismo.

vaginismo: 3 técnicas de tratamento da fisioterapia pélvica. Massagem perineal, biofeedback e dilatadores

Neste texto vou explicar 3 técnicas/recursos da fisioterapia pélvica essenciais no tratamento de vaginismo:     

1- Massagem Perineal para Vaginismo:

A massagem perineal é a técnica mais básica mas não menos importante no tratamento do vaginismo. A técnica consiste em promover relaxamento e alongamento da musculatura do assoalho pélvico. Normalmente a paciente com vaginismo apresenta aumento no tônus da musculatura além de pontos dolorosos por tensão muscular. A fisioterapeuta deve identificar estes pontos e usar técnicas manuais de relaxamento   

2- Biofeedback para Vaginismo:

O biofeedback é o aparelho mais moderno da fisioterapia pélvica sendo capaz de identificar a contração e o relaxamento da musculatura do assoalho pélvico apresentando estes dados em forma de gráfico para a paciente na tela do computador. O fato da paciente poder ver a curva da sua contração em tempo real facilita a conscientização e o controle muscular que é muito importante no tratamento de vaginismo.  A fisioterapeuta deve mostrar a forma correta de contrair e relaxar a musculatura e utilizar exercícios de relaxamento com o Biofeedback. Para acessar o Artigo completo sobre o Biofeedback clique no Link:   Como é a Fisioterapia Pélvica com Biofeedback no Tratamento do Vaginismo

3- Dilatadores para Vaginismo:

Este provavelmente é o recurso mais conhecido do tratamento de vaginismo. O uso de dilatadores promove alongamento e relaxamento da musculatura do assoalho pélvico de forma progressiva. Os dilatadores possuem tamanhos e diâmetros progressivos e são muito importantes para o treino do controle de relaxamento do assoalho durante a relação sexual. Este recurso também costuma aumentar a confiança da paciente. A Fisioterapeuta deve identificar o tamanho e diâmetro ideal para o início do tratamento e utilizar exercícios para a facilitar a progressão gradual do dilatador.  Para acessar o artigo completo de Dilatadores clique no link: Como usar os Dilatadores no Tratamento de Vaginismo?

O Objetivo desse texto foi explicar um pouquinho dessas 3 técnicas que eu costumo utilizar no tratamento de vaginismo. Vale ressaltar que em alguns casos é necessário utilizar outras técnicas e que a ajuda de profissionais da psicologia e ginecologia sempre contribuem para o resultado do tratamento. 

Espero ter ajudado na busca de informação que é sempre importante no tratamento dos sintomas. Fico à disposição para ajudar no que for preciso. Para finalizar vou deixar outro texto que pode ajudar: “5 dúvidas de mulheres que sentem dor na relação”   

Dra Isabel Fonseca

Dra Isabel Fonseca 

Fisioterapeuta Pélvica, Diretora da Clínica Urobecken e Membro da Associação Brasileira de Fisioterapia na Saúde da Mulher. (saiba mais sobre a Dra Isabel)

#urobecken #vaginismo #dispareunia #dilatadores #massagemperineal #biofeedback #fisioterapiapelvica #ginecologia #psicologia  

Deixe um comentário

×