fbpx

Tudo que você precisa saber sobre a fisioterapia pélvica no tratamento da Bexiga Hiperativa

fisioterapia pélvica no tratamento da Bexiga HiperativaSe você chegou até este post, provavelmente já passou por alguma destas situações:

  • Deixou de encontrar amigos porque o local não tinha fácil acesso ao banheiro;
  • Acordou cansado porque teve o sono interrompido inúmeras vezes por necessidade de ir ao banheiro durante a noite;
  • Teve sede mas não bebeu água por precaução;
  • Já teve que correr até chegar ao banheiro e talvez tenha escapado um pouquinho de urina no caminho.

Estes são exemplos de situações experimentadas por homens ou mulheres com Bexiga Hiperativa e influenciam direta e indiretamente no convívio social e na qualidade de vida destes pacientes.

Por isso, escrevemos este artigo com informações importantes sobre a Bexiga Hiperativa, seus sintomas e de que forma a Fisioterapia Pélvica atua no tratamento. Nesse sentido, optamos por utilizar uma linguagem menos técnica para facilitar a leitura dos pacientes.

O que realmente acontece na Bexiga Hiperativa?

A Bexiga Hiperativa é caracterizada pela presença de contrações do músculo da bexiga (Músculo Detrusor) em momentos que este deveria estar relaxado. Por se tratar de um músculo liso, não temos controle voluntário sobre o Detrusor.

Em uma situação normal, este músculo só contrai quando existe uma distensão considerável da parede da bexiga. Isto é, isso só ocorre quando a bexiga está cheia. Já na Bexiga Hiperativa o músculo contrai antes mesmo da bexiga encher o suficiente. Nesse caso, os principais sintomas relatados pelos pacientes são causados.

Principais Sintomas da Bexiga Hiperativa

  1. Urgência Miccional
    Este sintoma é caracterizado por um desejo súbito e forte de urinar. Assim, pode estar associado à pequena perda de urina ou não.
  2. Aumento da Frequência Urinária
    Além da urgência, pacientes com bexiga hiperativa apresentam uma necessidade aumentada de ir ao banheiro. Normalmente, urinam mais que 8 vezes durante o dia.
  3. Noctúria
    Trata-se da necessidade de levantar da cama durante a noite para urinar. Não é raro escutar de um paciente com bexiga hiperativa que acorda mais de 3 vezes para urinar. Muitas vezes, isso influencia negativamente na qualidade do sono.

Diagnóstico de Bexiga Hiperativa

O médico urologista é o profissional indicado para avaliar o paciente com esta queixa e fechar o diagnóstico. Em certas situações o médico pode optar por solicitar uma Avaliação Urodinâmica para auxiliar. No entanto, normalmente o diagnóstico é realizado através da história clínica associada ao conjunto de sintomas apresentados.

Outra avaliação complementar menos invasiva e de fácil realização é o Diário Miccional. Através dele, o Urologista e Fisioterapeuta têm acesso à informações importantes sobre o funcionamento da bexiga, tais como ingestão de líquido, frequência urinária diurna e noturna, capacidade de armazenamento (presumida) e presença de incontinência urinária. Baixe aqui o Diário Miccional Gratuito da Clínica Urobecken

 

 

Papel da Fisioterapia Pélvica no Tratamento

A fisioterapia pélvica é considerada a primeira linha de tratamento na Bexiga Hiperativa, ou seja, a primeira tentativa que o paciente deve tentar. Em determinadas situações, o urologista pode optar por prescrever um medicamento junto à fisioterapia pélvica.

Os dois principais objetivos da fisioterapia pélvica neste tratamento são:

  1. inibir (“acalmar”) a musculatura da Bexiga que está hiperativa, ou seja, evitar as contrações do músculo em momentos inadequados.
  2. fortalecer a musculatura do assoalho pélvico para evitar a perda de urina durante os momentos de urgência miccional e esforço
 

Quais recursos a Fisioterapia Pélvica utiliza na Bexiga Hiperativa?

Eletroestimulação

Um dos principais recursos utilizados no tratamento é a eletroestimulação. Este recurso é indolor e pode ser aplicado na região sacral e/ou do tibial posterior para inibir a bexiga através de neuromodulação; ou então na própria região do períneo para auxiliar na propriocepção e fortalecimento da musculatura do assoalho pélvico.

Biofeedback EMG

O biofeedback é o melhor aparelho para ensinar o paciente contrair a musculatura do assoalho pélvico de forma correta. Isso porque é muito comum que os pacientes não saibam contrair esta musculatura, já que ela é pouco utilizada de forma voluntária.

Através do biofeedback o paciente recebe informações visuais da contração e do relaxamento muscular na tela do computador. Estas informações podem ser na forma de ilustrações, gráficos ou até mesmo jogos, o que torna o tratamento mais lúdico e agradável

Cinesioterapia

A cinesioterapia trata-se dos exercícios de contração e relaxamento da musculatura do assoalho pélvico que devem ser associados aos demais recursos disponíveis, entre eles:

    • educador
    • eletroestimulação
    • biofeedback
    • cones vaginais entre outros

Esperamos ter ajudado de alguma forma, acreditamos que a busca de informação é o primeiro passo para o sucesso no tratamento, por tanto parabéns você já está no caminho!

Clique aqui e saiba quais são os 3 aspectos cruciais para eficácia da fisioterapia pélvica

Deixe um comentário

×