fbpx

O que é Vaginismo e Qual o Tratamento?

Você sabia que o vaginismo é uma das principais causas de dor durante a relação (dispareunia) entre mulheres jovens?  

Ao contrário do que muitas mulheres acreditam, a dor na relação não é um sintoma muito raro, sendo um dos principais motivos de mulheres jovens procurarem tratamento nas clínicas especializadas em fisioterapia pélvica

Para entender o que é vaginismo, suas causas e sintomas, bem como o tratamento indicado, reunimos as principais informações sobre a disfunção. No final deste artigo introdutório, disponibilizamos matérias mais específicas com técnicas utilizadas no tratamento. Acompanhe a seguir.

O que é vaginismo?

O vaginismo é classificado como uma disfunção sexual feminina. O distúrbio provoca contrações involuntárias dos músculos presentes no assoalho pélvico, os quais circundam a vagina.

A contração muscular nada mais é do que uma resposta do corpo a situações de ameaça, ainda que inconscientes, bem como a estímulos de dor. Como resultado, a vagina “fecha” e qualquer tentativa de penetração é extremamente dolorosa e difícil para a mulher, seja do pênis ou de outros objetos, como absorvente interno, aplicador de pomada e espéculo vaginal.

Descrito há mais de cem anos, o vaginismo afeta mulheres de todo o mundo, embora o número de diagnósticos ainda não seja o ideal em razão de fatores culturais, socioeconômicos e religiosos.

Quais são os sintomas?

O sintoma mais evidente do vaginismo é a dor durante a relação sexual, que pode ou não ser acompanhada de queimação e ardência. Entretanto, mulheres que sofrem com essa disfunção também podem relatar outras condições, como náusea, taquicardia, sudorese e dispneia, assim como medo e ansiedade.

Além do desconforto durante a penetração, a qual se torna impossível em muitos casos, a mulher pode sentir dificuldade para realizar exames ginecológicos. O diagnóstico da disfunção deve ser feito através da história clínica e do exame físico, já que não existe um exame complementar ou de imagem específico para isto.

O que causa o vaginismo?

Não existe uma causa única para o vaginismo, mas sim um conjunto de fatores físicos e psicológicos que levam ao desenvolvimento de um ciclo doloroso.  Vaginismo. Dor durante a relação, tensão medo e ansiedade, contração do assoalho pélvico.  Tratamento com fisioterapia pélvica. Urobecken, Rio de Janeiro

 

 

Podemos dizer que este ciclo pode ter origem em uma causa física ou psicológica. Vamos exemplificar dois exemplos distintos para facilitar:

1. Origem em uma causa Física:

Imagine a dor inicial devido à uma característica do próprio corpo feminino como lesões na vagina ou períneo, vulvodínia e atrofia vaginal por exemplo. Como resposta à essa dor, a mulher involuntariamente passa a realizar contração da musculatura da região do assoalho pélvico como um mecanismo de defesa só que essa resposta aumenta a dor inicial e potencializa o ciclo.  

2. Origem em um causa Psicológica:

Por outro lado, existem mulheres que podem ter características psicológicas como causa inicial do ciclo, como abusos sexuais, exames ginecológicos traumáticos, relação forçada, repressão da sexualidade, educação rígida e religiosa etc. Em resposta à essas experiências a mulher realiza a contração involuntária da musculatura do assoalho pélvico como mecanismo de defesa e isso causa dor, essa dor causa ainda mais tensão e contração involuntária potencializando o ciclo da dor.

Mesmo em casos de origem psicológica a repetição das contrações musculares involuntárias pode causar alterações(físicas) no tônus muscular da região.    

Existe tratamento para vaginismo?

A boa notícia para as mulheres diagnosticadas com vaginismo é que existem tratamentos eficazes. Estes, no entanto, devem ser acompanhados por profissionais que dominem o tema a fim de evitar que o quadro se agrave ainda mais.

O principal tratamento utilizado em mulheres com vaginismo é a fisioterapia pélvica. Uma fisioterapia bem diferente da convencional e especializada na musculatura do assoalho pélvico. Respeitando os limites da mulher e avançando conforme o progresso que ela apresenta, as sessões promovem relaxamento, alongamento e conscientização muscular, contribuindo para o alívio da dor e diminuição dos sintomas durante a relação.

Vale ressaltar que o acompanhamento psicológico também é recomendado, principalmente para mulheres que identificam alguma experiência negativa ou marcante como origem do sintoma.  

Assim, se você sente dores e desconforto durante a relação sexual ou exames ginecológicos, procure ajuda. Converse com sua ginecologista, esse sintoma é mais comum do que você pensa e tem tratamento. Eu estou a disposição para ajudar nas suas dúvidas nos comentários ou através do whatsapp.

Aqui estão os artigos disponíveis com as principais técnicas de fisioterapia pélvica no tratamento de vaginismo. É só clicar em um dos links:

Como usar os Dilatadores no Tratamento de Vaginismo?

Como é a Fisioterapia Pélvica com Biofeedback no Tratamento do Vaginismo? 

Dra Isabel Fonseca

Dra Isabel Fonseca 

Fisioterapeuta Pélvica, Diretora da Clínica Urobecken e Membro da Associação Brasileira de Fisioterapia na Saúde da Mulher. (saiba mais sobre a Dra Isabel)

#urobecken #vaginismo #dispareunia #dilatadores  #fisioterapiapelvica #ginecologia #psicologia  

Deixe um comentário

×