fbpx

4 coisas que você precisa saber sobre Incontinência Urinária

Tudo Sobre Incontinência UrináriaNos últimos anos, o número de pacientes procurando tratamento para incontinência urinária vem aumentando consideravelmente. Este fato provavelmente deve-se à duas novas características:

  • diminuição do “tabu” em falar sobre perda de urina
  • aumento da divulgação dos tratamentos, entre eles a Fisioterapia Pélvica.

Pensando nas possíveis dúvidas sobre o assunto, preparamos uma lista de 4 coisas que serão importantes na procura do tratamento para incontinência urinária.

 

 

1) Não é “normal” perder urina

Um dos mitos criados sobre a incontinência urinária, principalmente entre as mulheres, é que perder urina faz parte de um processo fisiológico do envelhecimento. Por isso, escapar urina seria normal em um determinado momento.

No entanto, hoje sabemos que, apesar da menopausa ser um fator de risco, a idade avançada não é um fator que impede a prevenção e o tratamento dos sintomas. O tratamento pode ser iniciado em qualquer fase da vida.

Além disso o sintoma não é exclusivo de pacientes idosas, é comum mulheres de meia idade e até mesmo adolescentes apresentarem incontinência urinária.

2) Deixar de beber água não vai ajudar

Um comportamento observado nos pacientes com incontinência urinária é diminuir a ingestão de líquidos para evitar a perda de urina. Porém, esta prática tem um efeito apenas mascarador dos sintomas e pode inclusive aumentar o problema.

Isso porque a bexiga é o órgão responsável por armazenar a urina e ingerir menos líquido e consequentemente produzir menos urina, pode contribuir para a diminuição da complacência desse órgão. como um “balão” rígido que perde a capacidade de encher),

Esse fato pode tornar o tratamento mais difícil. Uma dica válida é diminuir a ingestão de água em determinados horários. Por exemplo, é possível diminuir antes de sair de casa e antes de dormir. No entanto, é essencial compensar em outros momentos para não diminuir a ingestão diária total.

 

3) Converse com seu médico(a)

Conforme já citado, os pacientes estão se sentindo cada vez mais seguros em conversar sobre este tema que muitas vezes era escondido até mesmo do médico. Por isso, é essencial conversar com um especialista. Seu médico, em especial o urologista, é quem avaliará as possíveis causas do sintoma e indicará o melhor tratamento.

 

4) A Fisioterapia Pélvica é a primeira linha de tratamento

Já é bem evidenciado que na grande maioria dos casos a fisioterapia pélvica deve ser a primeira tentativa de tratamento da incontinência urinária. A fisioterapia pélvica consiste na recuperação e manutenção da funcionalidade da musculatura responsável por conter a urina, o Assoalho Pélvico. Além disso, ela ajuda a diminuir a atividade da musculatura da bexiga quando esta encontra-se em hiperatividade.

Estes objetivos podem serem alcançados através de diversos recursos, tais como eletroestimulação, cinesioterapia, educadores e Biofeedback. O(a) fisioterapeuta pélvico é quem irá avaliar e utilizar o recurso mais indicado para cada situação.

Agora que você já sabe estas 4 coisas importantes, não deixe a incontinência urinária atrapalhar sua vida social. Converse com seu urologista e procure uma clínica especializada em Fisioterapia Pélvica, esta é a dica da UroBecken.

Deixe um comentário

×